Piadas de Farmacêutico

Perguntinha:

O que são dois pontinhos pretos no microscópio?
Uma Blacktéria e Pretozoário!

Farmácia de Itu!

Numa farmácia em Itu, entra um senhor e diz ao balconista:
– Bom dia, eu queria um comprimido para dor de cabeça!
O empregado vai lá dentro e volta com um comprimido de meio-quilo.
– O que é isso? – diz o cliente assustado.
– O senhor sabe que aqui em Itu tudo é grande! – diz o empregado.
– Tudo bem, agora me dê um pacotinho de algodão!
O empregado traz-lhe um pacote enorme de algodão.
– Caramba! – diz o senhor.
– Eu já lhe disse! Aqui em Itu tudo é grande! – diz o balconista que em seguida pergunta ao homem:
– Deseja mais alguma coisa, senhor?
O cliente, saindo de fininho, responde:
– Não, não! Eu preciso de supositórios, mas eu compro em São Paulo mesmo…

Pacotes de Preservativo

Um homem caminha por uma farmácia com seu filho de dez anos.
Aconteceu de eles passarem pela seção de preservativos e o menino perguntou:
– O que é isso, pai?
O pai respondeu:
– São os chamados preservativos, filho… Os homens usam para fazer sexo seguro.
– Ah, tá… respondeu o menino, pensativo.
Sim, eu já ouvi falar disso nas aulas de educação sexual na escola.
Ele olha para a prateleira, apanha um pacote de três preservativos e pergunta:
– Por que tem três nesse pacote?
O pai responde:
– Esses são para garotos do Segundo Grau.
Uma para a Sexta, uma para o sábado e uma para o Domingo.
– Legal, diz o menino.
Agora ele pega um pacote com 6 e pergunta:
– E esses? Para que servem?
– Esses são para garotos da Faculdade, o pai responde.
Duas para a sexta, duas para o sábado e duas para o Domingo.
– Uau! – exclamou o menino. Então quem usa estes?
Perguntou o menino, apanhando um pacote com 12.
Com um suspiro, o pai responde:
– Estes são para os homens casados. Uma para Janeiro, outra para Fevereiro, outra para Março… E assim por diante, até Dezembro.

(Se você tá “rindo” é porque é casado… se você falou “não acredito”, casa pra ver…)

Papelarias não são farmácias 

Mais uma dos “Tugas”. Amiga da minha mãe há alguns anos foi para Portugal. Arquiteta, ela logo começou a fazer alguns projetos, e resolveu descer até a papelaria mais próxima para comprar coisas para poder trabalhar. 

– Boa tarde. Eu queria uma durex, por favor. 
– Aqui não vend’mos disso não s’nhora. 
– Como não vende? Eu quero uma durex! 
– Já lhe disse que não temos disso aqui! 
– Mas eu trabalho com isso! Preciso de uma durex para trabalhar! 

Bom, ela acabou indo embora sem se fazer entender mesmo. A única coisa que tanto ela quanto o português concordaram, no entanto, foi que ela saiu de lá, digamos, “muito puta”. Explica-se: “durex”, em Portugal, não é fita adesiva, é camisinha… Agora pensem no diálogo acima com o contexto que acabei de explicar e digam-me se ela realmente não saiu de lá “muito puta”?

Viagra feminino

Cientista japonês descobre novo Viagra feminino, o produto é conhecido pelos japoneses pelo nome de KALTON.
-“Quando você dá o KALTON para mulher, diz o japonês, “ela fica alegre, calinosa, bundosa, non??. Beija e ablaça o dia inteiro e a noite intelinha”.
Não dá sossego, ela querer tlansar as vezes que você aguental.
Só te chama “meu amol, minha vida, te adolo. Amo-te!”
Aí , perguntaram para o japonês :
– Eh, pá! Esse produto é mesmo fantástico?
– SIM ! SIM ! SIM ! galantido, non?, respondeu o japonês: funciona mesmo!
Non falha non!
– Perguntaram novamente ao japa, mas o nome é mesmo… KALTON ?
– SIM ! É KALTON… KALTON DE CLÉDITO.

Três Coisinhas

Na farmácia lotada daquela pacata cidadezinha do interior, aparece uma menina de seis anos e grita:

Duas dúzias de preservativos de todos os tamanhos!!

A atendente corre até a menina, se ajoelha e lhe fala no ouvido:

Eu vou lhe falar três coisinhas:
Primeiro, não se deve gritar desse jeito; segundo, preservativos não são para criancinhas pequenas como você e, terceiro, fala para o seu pai dar uma passadinha aqui.

Eu também vou lhe falar três coisinhas – responde a menina primeiro, na escola me ensinaram que devo sempre falar alto e claro, segundo eu já sei que preservativos não são para criancinhas, são contra as criancinhas e, terceiro, meu pai não tem nada a ver, os preservativos são para minha mãe que vai ficar três semanas no Rio, visitando a minha tia.

Deslizafácil

Dentro de uma farmácia, um estudante de Propaganda e Marketing faz perguntas
aos clientes para uma pesquisa de mercado:
– Por favor, minha senhora. Eu  estou fazendo uma pesquisa  sobre o produto
“Deslizafácil”, para determinar os usos da vaselina no lar. A  senhora poderia
me dizer como usa a vaselina?
Sem se fazer de rogada, a  mulher responde:
– Em casa, usamos a vaselina para machucados, pele seca, assaduras e  quando
fazemos amor. O pesquisador então pergunta:
– É a primeira vez que ouço a respeito do uso da vaselina para fazer amor,
poderia me dar mais detalhes? Mais uma vez, sem se abalar, a mulher responde:
– Eu coloco na maçaneta da porta do quarto….
Na maçaneta da porta ? ! ? !
É, as mãos escorregam e isso impede que as crianças entrem!!

Podia ser pior

Quando tiver um desses dias de “Odeio o meu trabalho!”, experimente isto: a caminho de casa, pare numa farmácia e peça um termômetro retal da marca Johnson & Johnson. Assegure-se que é desta marca.
Ao chegar em casa feche todas as portas e cortinas e desligue o telefone de forma a não ser incomodado durante a sua terapia. Mude para uma roupa confortável e deite-se na cama.
Abra a embalagem e retire o termômetro. Coloque-o cuidadosamente na mesinha de cabeceira. Retire o papel que vem com o termômetro e leia-o. Verá que em letras pequenas há uma declaração que diz o seguinte: “todos os termômetros retais feitos pela Johnson e Johnson são pessoalmente testados”.
Agora feche os seus olhos e repita em voz alta cinco vezes: “Estou tão feliz porque não trabalho para o controle de qualidade da Johnson e Johnson”.
Tenha um bom dia e lembre-se de que há sempre alguém com um emprego pior do que o seu!!!

Sem receita

Uma mulher entra em uma farmácia e fala: 
* Por favor, quero comprar arsênico. 
* Qual a finalidade? 
* Matar meu marido!! 
* Mas, não posso vender isso para este fim. 
A mulher abre a bolsa e tira uma fotografia do marido, 
transando com a mulher do farmacêutico. 
* Ah bom….. a senhora não me disse que tinha receita!

Enjoado

O sujeito chega na farmácia e pede:
-Me dá cinco caixas de camisinhas e cinco caixas de remédio contra náuseas.
E o farmacêutico diz:
Amigão, se trepar te causa tanto nojo porque não desiste?

Espermograma

Um velhinho tinha que fazer espermograma, foi na farmácia e comprou o
potinho… aí lá foi ele ao banheiro e tentou com a direita, tentou com a
esquerda e até com as duas e não conseguiu.
Então ele chamou sua mulher e ela tentou com a direita, tentou com a
esquerda, com as duas e até com a boca e também não conseguiu, então ela
chamou a vizinha…
Esta querendo ajudar, tentou com a direita com a esquerda com as duas mãos
e também com a boca e não conseguiu nada, chamou a filha dela que tinha 18
anos era a mais bonita do bairro e ela tentou com uma mão, com as duas e
também com a boca e não conseguiu… o velhinho triste voltou à farmácia,
devolveu o potinho e disse:
… ninguém lá em casa conseguiu abrir o potinho, você pode tentar abrí-lo ou trocar por outro ?

Mamex

Uma senhora entra em uma farmácia e pede ao farmacêutico:
-O senhor tem mamex para vender?
-Sim senhora, respondeu ele.
-Então embrulhe um para mim, disse a senhora.
Um velhinho que estava na porta da farmácia, chegou no farmacêutico, assim que a senhora se retirou e pediu:
-O que i esse raio de mamex?
-I um objeto que as mulheres usam para endurecer os seios, disse o farmacêutico.
Mais que depressa o velho disse:
-Então me vê um pintex ai.

Bêbado e o copo

– Um bêbado ao chegar em casa decide tomar um copo dágua. Porém devido seu estado etílico, e da pressa, não observa que no copo havia um pequeno rato vivo, o qual acaba engolindo-o. Ao notar o que havia acontecido ele fica quase bom e sai apressado entrando no primeiro hospital que encontra. Na realidade ele entrou num hospício e o primeiro “médico” que encontrou, não era médico, era um maluco vestido de branco. Então o bêbado, ainda apavorado, explica o que aconteceu ao “médico”. Este apanha um pedaço de papel escreve a receita e devolve ao bêbado que vai direto a uma drogaria para preparar o medicamento prescrito. O farmacêutico ao ler a receita pergunta qual era o seu problema. Após a explicação do bêbado o farmacêutico ri e diz faz sentido. O doido havia escrito: “Tomar um gato de duas em duas horas e colocar uma ratoeira no cú”

Super viagra

Uma mulher, do alto de seus bem conservados quarenta anos, foi um dia ao seu ginecologista com uma reclamação muito comum as mulheres desta idade: – Doutor, meu marido, depois de quase vinte anos de casamento, perdeu o interesse por mim e não me procura mais. O que eu faço ??? – Esta vendo este frasco ? E um remédio experimental, muito mais concentrado que o Viagra, e que por vir na forma liquida e mais prático para ser administrado sem o conhecimento da pessoa. Agora faça o seguinte: pingue apenas uma gota no jantar de seu marido e você já vera resultados em breve. Mas e? importante, apenas uma gota !!!!!! Volte daqui a duas semanas para me informar os resultados. A mulher foi toda esperançosa para sua casa, e naquela noite mesmo colocou uma gotinha no prato de seu marido. Milagre !! Aquela noite ele a procurou e fizeram amor como não faziam desde o começo do casamento!!! Na segunda noite, excitada demais para se conter, resolveu experimentar duas gotinhas… E foi recompensada com a melhor note de sua vida toda!!!! Na terceira noite, ainda de pernas bambas, virou o conteúdo todo do frasco na comida… Quinze dias depois, como não tinha ainda noticias de sua paciente, o médico resolveu ligar para sua casa. Quem atendeu foi o filhinho dela de 4 aninhos: – Bom dia garoto, sou o médico de sua mamãe, estou ligando para saber se esta tudo bem ai na sua casa. – A mamãe morreu com um sorriso estranho, minha irmã fugiu, a empregada esta gravida, meu bum-bum esta doendo e o papai esta lá no quinta gritando: “Vem Toto, vem”… 

O menino ceguinho

O menino, ceguinho de nascença, ia fazer dez anos.
Faltavam poucos dias e, uma tarde, o pai do menino ceguinho chega pra ele e diz:
– Meu filho, mandei vir dos Estados Unidos um colírio que vai curar a sua cegueira. É um remédio maravilhoso, milagroso. Só uma gotinha em cada olho e você vai poder enxergar!
O menino ficou todo feliz e disse:
– Que bom, pai. Agora eu vou poder saber como é você, como é a mamãe, meus amigos, o azul, o feio, as meninas, Nossa Senhora, as flores, tudo! – Que dia o remédio chega?
Eu te aviso. – disse o pai.
E todo dia o pai chegava do trabalho e o menino corria pra ele, aflito, batendo nos moveis, gritando:
– Chegou, papai? Chegou?
No dia 28 de março, o pai chegou em casa, aproximou-se do filho ceguinho e balancou um vidrinho no ouvido dele.
– Sabe o que é isto, filhinho?
– Sei, sei! – gritou o menino. – É o colirio! É o colirio!
– Exatamente, meu filho. É o colirio.
Que bom! – disse o menino. – Agora eu vou poder ver as coisas, saber se eu pareço com você, saber a cor dos olhos da mamãe, usar meus lápis de cores, ver os passaros, o ceu, as Borboletas. Vamos, papai, pinga logo este colirio nos meus olhos!
– Nao. Hoje, não – disse o pai. – Mandei chamar seus avos, todos os nossos parentes; eles chegam no dia de seu aniversario, quero pingar o colírio com todo mundo aqui em sua volta…
E o menino disse meio conformado:
– É. O senhor tem razão. Quem já esperou dez anos, espera mais uns dias. Vai ser bom. Ai eu vou poder ficar conhecendo todos os meus parentes de uma vez. E foi dormir, mas não dormiu. Passou a noite toda sofrendo, rolando na cama, pra lá, pra cá. Quando foi no dia seguinte, dia 29 de março, cedinho, ele acordou o pai.
– Papai, pinga num olho só. Num olho só. Eu fico com ele fechado até a vovó chegar, juro!
O pai disse: – Não. Aprenda a esperar!
– Mas, papai, eu quero ver a vida, papai. Eu quero ver as coisas.
– Tudo tem a sua hora, meu filho. No dia do seu aniversario você verá.
O menino ceguinho passou sem dormir o dia 29, o dia 30 e o dia 31.
Quando foi ali pelas dez horas da noite ele chegou pro pai e disse:
– Papai, só faltam duas horas para o meu aniversario. Pinga agora, papai. 
O pai pediu que ele esperasse a hora certa. Assim que o relógio terminasse de bater as doze badaladas, ele pingaria o colírio nos olhos do menino.
E o menino esperou.
A meia-noite, toda a família do garoto se reuniu no centro da sala e aguardou o final das doze badaladas. O menino ouviu uma por uma, sofrendo.
Bateram as dez, as onze e as doze!
– Agora, papai. Agora! O colírio.
O pai pegou o vidrinho, pingou uma gota num olho. Outra no outro.
– Posso abrir os olhos? – perguntou o menino.
– Não! – disse o pai. – Tem que esperar um minuto certo, senão estraga tudo.
Vamos lá: Sessenta, cinquenta e nove, cinquenta e oito, cinquenta e sete, e foi contando: trinta e quatro, e foi contando – e o menino de cabecinha erguida esperando – vinte e seis, vinte e cinco, e foi, quinze, quatorze, e toda a família em volta esperando, e dez, e nove, e oito, e sete, e seis, e cinco, e quatro, e três, e dois e um e já!
O menino abriu os olhos e exclamou:
– Ué. Eu não estou enxergando nada! E a família toda grita:
– Primeiro de abrilllllll !!! 

Telefonema do SUS

O telefone toca e a dona da casa atende:
-Alô!
– Sra. Costa, por favor.
– É ela.
– Aqui é Dr. Arruda, do Laboratório. Ontem, quando o médico enviou a
biopsia do seu marido para o laboratório, uma biopsia de um outro Sr. Zezé chegou também e agora não sabemos qual é do seu marido e infelizmente, os resultados são ambos ruins…
– O que o senhor quer dizer?
– Um dos exames deu positivo para Alzheimer e o outro deu positivo para AIDS.
Nós não sabemos qual é o do seu marido.
– Nossa! Vocês não podem repetir os exames?
– O SUS somente paga esses exames caros uma única vez por paciente.
– Bem, o Sr. me aconselha a fazer o quê?
– O SUS aconselha que a senhora leve seu marido para algum lugar bem longe da sua casa e o deixe por lá. Se ele conseguir achar o caminho de volta, não faça mais sexo com ele . . .

O Gáucho e a Pomada Lubrificante 

O gaúcho entrou na farmácia e pediu:
– Me dá um pomada lubrificante!
Assim que o farmacêutico lhe entregou, ele pediu:
– Posso experimentar?
O farmacêutico concordou com a cabeça e esfregou um pouquinho da pomada entre os dedos.
– Tu não tens uma mais suave?
O farmacêutico foi buscar outro tubo. O gaúcho tornou a fazer a experiência.
– Tu não tens uma que deslize melhor?
O farmacêutico pegou outro tubo.
– Essa sim! Vou levar essa!
Assim que ele saiu da farmácia, um curioso que presenciara a cena comentou com o farmacêutico.
– Aposto que hoje esse gaúcho vai comer um cu!
– Qual nada – disse o farmacêutico. – Tenho certeza que não!
– Como você pode ter tanta certeza?
– É simples, você já viu alguém se preocupar com o cu dos outros?

Remédio Errado

Entra um senhor desesperado na farmácia e grita:
-Rapido, me dê algo para a diarreia! Urgente! O dono da farmácia, que era novo no negócio, fica muito nervoso e lhe dá o remédio errado; um remédio para nervos. O senhor, com muita pressa pega o remédio e vai embora.
Horas depois, chega novamente o senhor que estava com diarréia e o farmacêutico lhe diz:
Mil desculpas senhor. Creio que por engano lhe dei um medicamento para os nervos, ao invés de algum remédio para diarréia. Como o senhor está sentindo?
O senhor responde:
Cagado… mais tranquilo.

Exame de Urina

Régis, analista de sistemas, está com muita dor no braço direito e resolve ir ao médico. Chegando lá, o doutor lhe diz:
– Tenho um novo computador aqui, basta você urinar neste potinho e ele nos dirá o que você tem!
– Ha ha ha! Não acredito nisso! Sou analista de sistemas e nunca ouvi tamanha asneira! Mas, vamos lá! Régis urina no potinho e entrega ao doutor, que o coloca no compartimento de análise do Computador. Aperta um botão aqui, outro ali.
Passados uns 30 segundos, sai um papelzinho:

Régis Magalhães
35 anos
Branco
Analista de Sistemas
Artrite no braço direito

– O quê!? Como essa máquina fez isso! Eu quero fazer o exame de novo! Régis vai para casa.. No dia seguinte,
desta vez em jejum, faz xixi no potinho e leva à máquina para nova análise.
Passados outros 30 segundos, sai outro papelzinho:

Régis Magalhães
35 anos
Branco
Analista de Sistemas
Artrite no braço direito

– Doutor, realmente não acredito. Me dê outro pote!
Régis vai para casa. Faz xixi no potinho e pede para a mulher e a filha fazerem também. Coloca um pouco de
óleo do carro e ainda por cima se masturba e coloca o resultado no potinho.
Mistura tudo e leva para o doutor pensando:
– He he he! agora quero ver!
O doutor coloca o pote no computador. Sai o papel:

Régis Magalhães
35 anos
Branco
Analista de Sistemas
Corno
Filha grávida de 3 meses
Seu carro precisa fazer uma revisão no motor E da próxima vez que se masturbar, faça-o com a mão esquerda, pois o BRAÇO DIREITO ESTÁ COM ARTRITE, PORRA!!!

Que macho valentão e bravo!

Um caboclo valentão muito bravo chegou na farmácia, empurrando todo mundo e gritou:
– Farmacêutico! Me da uma vaselina ai!
O farmacêutico correu lá dentro trouxe um potinho.
O Valentão olhou o pote e disse
-Credo que vaselina ruim fedorenta não é oleosa nem nada!
E o farmacêutico disse
-Tem umas mais melhor.
-Pode trazer.
Trouxe e o valentão olhou e disse:
-Essa é melhorzinha um pouco.
E resmungou com tom de ameaça:
-Você não tem coisa que presta não?
-Tem uma importada da Inglaterra mais é 120 o pote!
Meteu a mão no balcão:
-To perguntando preço não rapaz, quero uma vaselina que presta
O farmacêutico correu lá dentro trouxe.
-Essa é boa… O valentão pagou e foi saindo
E um velhinho que acompanhava tudo disse:
-Este cara é bicha né!
-Que que é isso vovô o senhor tá doido esse é macho demais da conta… Quer impressionar a namorada dele!
Não meu filho… Ninguém toma tanto cuidado com o traseiro dos outros assim não.

Esparadrapo

O negão chegou na farmácia e falou:
– Ôh da farmácia me da aí um esparadrapo cor da pele.
O balconista, olhou bem pro negão, e disse:
– Ôh meu chapa, fita isolante só tem alí na casa de material elétrico, falo?

Cobaias

Porque alguns laboratórios de pesquisa pensam em usar argentinos como cobaias ao invés de ratos? Três razões:
1 – Não ha falta de argentinos. Eles estão em todos os lugares.
2 – Os pesquisadores não se apegam emocionalmente a eles.
3 – Existem certas coisas que não devem ser feitas, nem mesmo a um rato.

O português foi fazer exames de fezes

No dia da entrega das fezes coletadas o português entra no laboratório com uma lata de nescau na mão e logo em seguida vêm a recepcionista com um monte de etiquetas na mão e anuncia:
Por favor senhores! Coloquem o nome nas etiquetas e colem nos respectivos ok? Já já eu recolherei as amostras.
5 minutos depois a recepcionista volta e encontra todos os recipientes etiquetados, e quando vai conferir:
Em um estava escrito JOÃO, no outro PEDRO, e assim por diante, mas quando chega na lata de nescau do português, lá estava a etiqueta, e escrito nela com letras enormes “MERD@ HUAHUAHUAHUA!”

Tímido, mas não bobo

Um rapaz tímido entra em uma farmácia para comprar uma camisinha. Com muita vergonha ele pede ao farmacêutico:
– Eu queria comprar uma camisinha.
O farmacêutico, sentindo que o rapaz é muito tímido, resolve tirar uma onda com a sua cara e com uma cara de deboche fala:
– Jovem, é o seguinte: eu tenho camisinha, mas a que eu tenho não tem manga.
O rapaz logo responde:
– Não tem problema, quem vai usar não tem braço.

Desodorante Íntimo

Madame na farmácia conversando com o farmacêutico :
– Por favor, quero um desodorante íntimo.
– Que sabor ?
– Clorofila.
– Sinto muito, mas irei receber só amanhã.
– Então mandarei meu marido vir buscar.
– Como é seu marido?
– É alto, moreno, de bigode verde!!!

Balança de bebê

A loira entra na farmácia com o bebê no colo e pergunta para o farmacêutico:

– Moço, eu posso usar a sua balança de bebê?
– Infelizmente a nossa balança para pesar bebês está quebrada. Mas nós podemos calcular o peso do bebê se pesarmos a mamãe e o bebê juntos na balança de adultos, em seguida, pesarmos a mãe sozinha. Depois é só subtrairmos o segundo valor do primeiro!

– Que interessante! – Exclama a loira abismada – Pena que não vai dar certo…
– Por quê? Algum problema?

– É que eu não sou a mãe do bebê! Sou a tia!

Consulta com “Oculista”?

Um certo cidadão entrou em uma clínica com um frasco de nescafé dentro do qual havia um tolete de cocô – um tijolaço mesmo, daqueles enormes – e se dirigiu à recepção dizendo à mocinha que estava atrás do balcão:
– Por favor senhorita, eu quero marcar uma consulta com um oftalmologista.
Vendo aquela bosta enorme dentro do frasco, a recepcionista não vacilou:
– Senhor, o senhor tem que marcar lá no laboratório, um exame de fezes.
Mais o homem retrucou:
– Minha filha, eu falei que quero marcar um oftalmologista e pronto!
E a recepcionista respondeu:
– Mas senhor! O senhor tem que marcar lá no laboratório, um exame de fezes.
Mais o homem insistia. Diante da insistência do cidadão, a recepcionista resolveu marcar a consulta como ele pedia. Dai então ele ouviu:
– Senhor Fulano de Tal entre à sala 4.
Ele levantou-se todo feliz e antes mesmo que entrasse na sala, o médico vendo o frasco foi muito gentil e lhe disse:
– Desculpe senhor, mas o laboratório é no outro corredor.
– Não doutor, eu quero falar é com o sr. que é oftalmologista, não é?
– Sim, sou eu!
Diante da insistência do cara o médico resolveu atender e disse:
– Então meu senhor. O que que o senhor tem?
O homem botou o frasco em cima da mesa e perguntou:
– Doutor, porque e que toda vez que eu boto um desses, sai uma lágrima do meu olho?

Bêbado

Chegou um bêbado na farmácia:

– Me dá uma aspirina!

E o farmacêutico:

– Quer que embrulhe?

– Claro. Ou o senhor quer que eu vá rolando ela por aí?

Que fora!

O adolescente entra na farmácia e pede uma camisinha. Meio desajeitado, procura justificar a compra:

— É que eu vou jantar na casa da minha namorada hoje e nunca se sabe, né… de repente, pode rolar um clima….

O dono da farmácia entrega o preservativo, o adolescente paga e vai embora. Cinco minutos depois o adolescente volta e diz pro dono da farmácia:

— Me lembrei da irmã da minha namorada. E ela é muito bonita, sabe. Talvez ela se interesse por mim. É bom garantir, me dê mais uma camisinha.

O adolescente recebe a segunda camisinha, paga e vai embora. Volta logo depois:

— Sabe moço, acho melhor levar mais uma. Me disseram que a mãe da minha namorada é muito gostosa e se interessa por rapazes mais novos. Quem sabe ela também se interessa por mim. Mais uma, né?

O adolescente paga e recebe a camisinha.

À noite, toda a família está à mesa quando o rapazinho chega. Ele chega, senta e fica o tempo todo no mais absoluto silêncio de cabeça baixa até que a namorada cochicha pra ele:

— Puxa, querido, você não falou uma só palavra. Não sabia você que era tão tímido assim.

— E nem eu sabia que o dono da farmácia era o seu pai …

O careca na farmácia

O sujeito, totalmente calvo, chega na Farmácia e pede:
– Me dá um vidro de loção para cabelos!
– Grande ou pequeno?
– Humm… Me dê um pequeno! Detesto cabelos longos!

Remédio para picada

Certo dia um baiano chegou em uma farmácia e perguntou ao farmacêutico:
– Você tem remédio para picada de cobra?
– Caramba! você foi picado por uma cobra! – disse o farmacêutico preocupado.
E o baiano disse com um ar de extrema preguiça:
– Não, mas ela já vem bem alí…

O português na Farmácia

O Português vai até a farmácia e pergunta:
– O senhor tem Sal de Frutas?
– Tenho sim, senhor!
– Então, me vê um de abacaxi!

Farmácia Concorrente

O Joaquim tinha uma farmácia no subúrbio de Lisboa. Um dia ele viu uma farmácia concorrente com uma placa onde estava escrito: 
Farmácia do Estácio. Proibido estacionar.
Ele achou aquilo muito legal e não vacilou.
A primeira coisa que ele fez, foi colocar a seguinte placa na sua farmácia: Farmácia do Joaquim. Proibido Joaquinzar!

Portuga na farmácia

O Joaquim chega na farmácia e pergunta para o balconista:
– Você tem termômetro colorido?
– É claro que não! pra que e que alguem iria querer um negocio destes?
– É que a Maria esta desconfiada de que o nosso filho esta com febre amarela.

A viúva e o vibrador

Uma viúva estava desesperada por sexo e resolve ir a um sexologista que a aconselha a comprar um vibrador. Ela vai então até a farmácia mais próxima e compra o dito cujo. Sem saber como fazer ele pergunta ao farmacêutico:
– Como se usa isto?
O Farmacêutico:
– É fácil! Faça como se fosse seu marido. É igualzinho…
No dia seguinte ela volta a farmácia chorando:
– Isto não funciona. Foi uma catástrofe…
– Mas por que? Pergunta o farmacêutico.
– Eu fiz como se fosse meu marido e o resultado é que eu quebrei todos meus dentes da frente…

Pai e filho na farmácia

Pai e filho vão a uma farmácia para comprar uns remédios que a mãe do garoto esta tomando. Enquanto o pai espera a farmacêutica busca-los, o garoto fica observando as prateleiras com todos aqueles remédios, até que bate os olhos na prateleira dos preservativos. Fica curioso ao ver aquela grande variedade de cores e aquele formato interessante e pergunta ao pai:
– Papai, o que e isso?
O cara, claro, fica meio sem jeito, mas acaba por responder, em voz baixa, a verdade:
– Isso e para evitar que a mulher tenha filhos ou que o homem ou a mulher tenham doença enquanto… sabe, enquanto fazem amor.
– E por que tem essas caixas com três?
Ainda um pouco embaraçado, ele responde:
– É para os adolescentes. Um e para Sexta, um para Sábado e um para Domingo.
– E essas com seis?
– É para aqueles que estão um pouquinho mais velhos. Colegiais de faculdade, por exemplo. Eles usam duas na Sexta, duas no Sábado e duas no Domingo.
– E por que tem essa com doze?
– Essa ai? Ah! Essa ai e para os casados – diz, um pouco rindo, o pai – uma em Janeiro, uma em Fevereiro, uma em Março, …

Remédio para tosse

O cara chega na farmácia todo enrolado no cachecol, com o nariz vermelho, o sobretudo abotoado até em cima, tossindo que nem um condenado.
– Pelo amor de Deus!Um remédio pra tosse. Mas que funcione mesmo! Eu já tomei de tudo e nada funcionou.
O farmacêutico pega um frasco e o entrega ao sujeito, dizendo ser um santo remédio pra tosse.
– Isso aqui, remédio pra tosse? Mas é um laxante, e dos brabos!
– Mas é eficientíssimo contra a tosse.
– O senhor Tem certeza que Eu vou parar de tossir?
– Meu amigo, tomando este laxante você não vai se atrever a tossir.

Problemão

Um camarada entra numa pequena farmácia. Quando percebe que a única pessoa que atende no balcão é uma velhinha, desiste de pedir o que desejava e, para disfarçar, pede só um sabonete. A velha nota o ar de preocupação do sujeito e lhe diz:
– O senhor não entrou aqui só para comprar um sabonete! Eu e minha sócia estamos nesse ramo há mais de quarenta anos! Já atendemos tudo quanto foi caso! O senhor não precisa se encabular, qual é o seu problema?
O cara resolve se abrir:
– Sabe o que é? É um problema de natureza sexual! Quando eu tenho uma ereção, ela se prolonga por horas e horas! Não há o que faça o meu pênis baixar! Eu posso ter relações, me masturbar, o meu pênis continua ereto por muito tempo! A senhora tem alguma coisa pra me dar para isso?
A dona da farmácia diz que vai consultar a sócia e se ausenta por alguns instantes. Volta em seguida junto com outra velhinha e diz para o sujeito:
– O que eu e minha sócia podemos lhe dar são oitocentos reais por mês, mais cama, comida e roupa lavada…

O fanho na farmácia

Entra um fanhoso na farmácia e diz:
– Eu ero uma aixa de firinfonfon.
O farmacêutico não entende e pergunta:
– Você poderia repetir?
– Eu ero uma aixa de firinfonfon.
– Vamos devagar. Pausadamente, para que possamos nos entender.
– Á om. Eu ero uma aixa de firinfonfom.
Vendo que não ia entender, o farmacêutico lembra de um funcionário que também era fanhoso e pede para atendê-lo:
– O e oê er?
– Eu ero uma aixa de firinfonfon.
– Ah! Eere um ouco!!!
Vai lá dentro e traz embrulhado e dá para o cliente, que agradece:
– Uito oigado!!!
– Olte empre!!!
O farmacêutico, curioso, então pergunta:
– e aí? O que ele queria?
– Ah!!!! Era ó uma aixa de firinfonfon…

Farmácia na Argentina

Um brasileiro chegou em uma farmácia na Argentina:
– Oi, você tem uma aspirina?
O argentino foi ao fundo da farmácia e mostrou uma
aspirina do tamanho de um pneu.
– Você não tem uma de tamanho normal?
– No, en Argentina tenemos la aspirina más grande del mundo!
– Bem, então me dá uma garrafa de álcool.
O argentino foi ao fundo da farmácia e mostrou uma garrafa com 10 litros e perguntou:
– Algo mais?
– Não não, obrigado! Estava pensando em comprar um supositório, mas vou deixar para comprar no Brasil mesmo.

Lista de casamento

José (92 anos) e Laura (87 anos) decidiram casar.
Vão à farmácia da esquina e José pergunta ao farmacêutico:
– Tem medicamentos para o coração?
– Temos sim, senhor – responde o farmacêutico.
– Tem medicamentos para a circulação?
– Temos sim, senhor.
– E medicamentos para o reumatismo?
– Certamente, senhor.
– E Viagra?
– Claro, senhor.
– E medicamentos para a memória?
– Sim, sim, senhor.
– E também tem vitaminas?
– Claro que sim, senhor.
Então, José vira-se para Laura e lhe diz:
– Bem, tens razão, vamos fazer a nossa lista de casamento aqui.

A víuva e o vibrador

Aquela estava desesperada por sexo. Resolve ir ao um sexólogo, que a aconselha a comprar um vibrador. E ela compro o dito cujo. Sem saber como fazer, ela pergunta ao balconista:
– Como se usa isto?
O balconista:
– É fácil! Faça como se fosse seu marido. É igualzinho…
No dia seguinte, ela volta a farmácia chorando:
– Isto não funciona. Foi uma catástrofe…
– Mas por quê? pergunta o farmacêutico.
– Eu fiz como se fosse com meu marido e o resultado é que quebrei todos meus dentes da frente…

– Isto aqui é uma Parmácia ?- indagou o cliente …
– É uma FARMÁCIA, e com PH, sim senhor !! – retrucou o farmacêutico.
– Quero uma pasta pillips- pediu o cliente.
– Não é pillips, é: PHILLIPS (FILIPS) – corrigiu o farmacêutico.
– Então traga isso ai e me dá um penergan.
– Não é penergan, é: FENERGAN (com PH).
– E também eu quero Filulas … para minha esposa..
– Não é Filulas, é PÍLULAS.
– Futa que Fariu, vou dar uma Forrada no Fróximo Pilho da Futa que me corrigir!

O português

O Joaquim chegou na farmácia e estranhou quando viu o Manuel com um supositório atrás da orelha:
– Oh Manuel, o que fazes com esse supositório atrás da orelha?
– Supositório?! Que supositório?
– Esse que está atrás de tua orelha.
– Ai Jesus, onde será que eu coloquei a caneta?

Os travestis

Depois de uma madrugada fracassada, dois travestis conversam:
– É, amiga… Hoje não caçamos nem um bofe… É melhor a gente subir nas tamancas e se mandar. Já deu!
– Tem razão, fofa! Mas antes, vamos dar uma passadinha na farmácia? Eu preciso tomar uma injeção!
– Ih, menina! Tá bichada, é? Não é você que é vitaminada?
– Não é nada disso, criatura! Eu só não quero ir pra casa sem ter mostrado a bunda pra ninguém!

Acabar com a gripe

Um homem entra numa farmácia e pede 2 aspirinas uma camisinha e um copo de água.
O farmacêutico entrega tudo e ele coloca as aspirinas e a camisinha num copo de água e toma duma vez!
O farmacêutico fica assustado e pergunta:
-Porque você fez isso?
E o cliente responde:
-É que eu quero foder com esta gripe

Joãozinho Ressucitando

Joãozinho estava vindo da farmácia e encontrou com seu amigo Paulinho e Paulinho disse:
– Joãozinho você esta doente?
– Não Paulinho por que?
– Porque eu vi você saindo da farmácia, e pensei que estivesse doente.
– Ora! se visse eu saindo do cemitério pensaria que estaria morto?
E Paulinho meio furioso disse:
– Não… não… pensaria que você estava ressuscitando!

Numa cidade do interior, o viajante chega tarde da noite e toma o quarto de um hotel. Ai se lembra de que não tem gilete para fazer a barba e precisa acordar bem cedo no dia seguinte para visitar o cliente e que, possivelmente, não vai encontrar farmácia aberta. Desce ate a portaria e pergunta ao dono do hotel onde pode encontrar uma farmácia aberta aquela hora da noite e o hoteleiro informa que tem um 24h na cidade. O viajante vai lá e pede ao farmacêutico um pacotinho de gilete. O farmacêutico então pergunta:
– Seu aparelho de barbear e de pino redondo ou quadrado?
– Ai, pombas – diz o viajante. – O que e que tem isto?
– E que eu gosto de vender as coisas muito certinho -diz o farmacêutico.- Sou um comerciante zeloso. Só vendo a gilete sabendo para que tipo de aparelho se destina. O viajante fica danado da vida, mas volta ao hotel, traz o aparelho para o farmacêutico ver e leva a gilete indicada. De volta ao hotel, descobre que não tem dentrificio na mala. Como não dorme sem escovar os dentes, retorna a farmácia e pede uma pasta dental.
– Sua escova é de cerdas naturais? – pergunta o farmacêutico.
– Ai, meu saco!
La vai o viajante de volta buscar a escova para o farmacêutico ver que tipo de dentrificio deve ser vendido para ele.
– O senhor sabe. Sou um comerciante zeloso. Gosto de tudo certinho. Freguês meu não tem por que se queixar. Só vendo a coisa certa para a finalidade exata.
La pelas tantas, o farmacêutico esta meio que cochilando no balcão da farmácia, quando entra, de novo, o viajante. Vem com uma latinha na mão e entrega ao farmacêutico. O farmacêutico abre a latinha, que esta cheia de coco. Ai o farmacêutico pergunta:
– Pra que e isso?
E o viajante responde:
– É que eu quero um rolo de papel higiênico.

Pagando ao neto

O velhinho quer experimentar um Viagra mas está com vergonha de ir à farmácia e pedir para a vendedora. Ele pede para o neto ir lá no lugar dele, prometendo-lhe 50 reais. O garoto vai e volta com o Viagra. O vovô pede desculpa: – Obrigado, meu neto, mas hoje estou sem grana. Mas não se preocupe que amanhã eu te pago. No dia seguinte o neto vem buscar sua grana. O avô lhe dá um envelope. O garoto abre o envelope e se espanta: – Mas avô, tem muito mais do que nós combinamos! Você se enganou! – Nada, meu filho. Tá certo. O resto foi tua avó que pôs.

É um casal brasileiro que está desesperadamente tentando ter um filho. Já consultaram todos os médicos, fizeram todos os exames, tentaram todos os métodos… Em vão.
Até o dia em que ouvem falar de um super professor americano que consegue milagres. Eles compram uma passagem para os Estados Unidos e vão consultar o professor. Como eles não falam inglês e nem o professor fala português, este dá a entender por gestos que ele quer que eles pratiquem sexo para que ele possa diagnosticar.
Inicialmente sem jeito, o casal começa a “trabalhar”. O professor os examina sob todos os ângulos, e depois de um tempo manda-os parar.
Ele vai até a mesa dele e escreve uma receita. Super feliz, o casal volta para casa.
Assim que chega, o marido vai á farmácia e pergunta:
– O senhor tem Traidioterol?
O farmacêutico responde:
– Traidioterol?… Traidioterol?…
– Não conheço. O senhor tem a receita? O sujeito dá a receita ao farmacêutico.
Esse le e responde:
– O senhor leu errado. Está escrito “Try the Other Hole (Tente o outro buraco)”.

Vingou bem!

Um homem entra numa farmácia e fica andando de um lado para o outro sem encontrar o que procura.
Uma vendedora aproxima-se e pergunta se pode ajudá-lo. 
Ele responde que está procurando por uma caixa de O.B. para sua esposa. 
Ela aponta o lugar correto onde o homem deve procurar. 
Minutos depois, ele vai passando pela vendedora com um pacote de algodão, daqueles de bola e um novelo de cordão. 
A vendedora confusa diz:
– Senhor, pensei que estivesse procurando O.B. para sua esposa!?!?
Ele responde:
– Para você ver como são as coisas. Ontem, pedi a minha esposa para me comprar uma carteira de cigarros e ela me trouxe um saquinho com tabaco e papel para enrolar. Então, se posso eu mesmo fazer os meus, ela que faça os dela!

Estas crianças!

Na farmácia lotada daquela pacata cidadezinha do interior, aparece uma menina de seis anos e grita:
– Duas dúzias de preservativos de todos os tamanhos!!
A atendente corre até a menina, se ajoelha e lhe fala ao ouvido:
– Eu vou lhe falar três coisinhas: primeiro, não se deve gritar desse jeito; segundo, preservativos não são para criancinhas pequenas como você e, terceiro, fala para seu pai dar uma passadinha aqui.
– Eu também vou falar três coisinhas – responde a menina – primeiro, na escola me ensinaram que devo falar alto e claro; segundo, eu já sei que preservativos não são para criancinhas, são contra criancinhas e, terceiro, meu pai não tem nada a ver, os preservativos são para minha mãe que vai ficar três semanas no Rio, visitando minha tia!

Na Farmácia

Um cara chega numa farmácia e pergunta a uma mulher que o atende:
– Por favor, eu gostaria de falar com um homem!
– Meu senhor, responde a mulher, aqui só trabalhamos eu e minha irmã, minha sócia. 
Não temos nenhum funcionário homem. 
Mas pode me falar qual é o seu problema, pois estamos acostumadas a atender vários casos e somos bem profissionais.
– Bem, responde o cara, meio sem jeito, é que tenho uma ereção permanente, o que me causa muito constrangimento.
Ele abre o zíper, mostra o negócio para a moça e continua.
– Esse problema atrapalha minha concentração. Eu fico só querendo sexo o dia inteiro! Vocês têm alguma coisa aí pra isso?
– Espere um momento, disse a mulher.
E foi para os fundos da farmácia. Logo depois ela retorna e diz:
– Falei com minha irmã. Podemos te dar 1/3 do lucro da farmácia, mais uma ajuda de custo de R$ 2 mil!