Juramento Farmacêutico

Juramento Farmacêutico Atual:
“Prometo, em minhas funções de farmacêutico,
orientar sempre, sem nunca me impor,
auxiliar no que for possível,
não pensando em gratificações e agradecimentos.

Juro não oferecer drogas que,
conscientemente, saiba eu serem nocivas à saúde.

Evitarei qualquer ato de maldade
ou que favoreça o crime e a corrupção.

Prometo ainda ser um amigo leal,
que mereça a confiança das pessoas
em seus momentos mais difíceis

E espero a graça divina do amparo
para que eu saiba cumprir com dignidade a minha profissão.”

Outros Juramentos:
“Prometo, no exercício da profissão farmacêutica,
ser sempre fiel aos deveres da honra, da ciência e da caridade.
Nunca me servirei da profissão para corromper os costumes ou favorecer o crime.
Se eu cumprir este juramento com fidelidade, goze eu, para sempre,
a minha vida e a minha arte, de boa reputação entre os homens.
Se eu o infringir ou dele me afastar, suceda-me o contrário”.
Hipócrates de Cós, 460 a.C.

Juramento Farmacêutico Antigo:
Por volta do ano de 1300, os boticários da França passaram a prestar o seguinte juramento solene, em sua formatura:
“Juro e prometo viver na fé cristã.
Juro amar e honrar meus pais.
Juro não falar mal de nenhum dos meus antigos professores, mestres e nem dos outros farmacêuticos.
Juro tudo fazer para maior honra e glória da medicina.
Juro não ensinar aos idiotas e aos ingratos os segredos dos remédios.
Juro não fazer nada temerariamente, sem conselho do médico, só pela avidez do lucro.
Juro não ministrar nenhum medicamento nem purgante a qualquer doente sem que este antes tenha consultado um médico.
Juro não tocar nas partes proibidas da mulher, salvo em causa de absoluta necessidade de aplicar ali algum remédio.
Juro não dar veneno a ninguém e nem aconselhar a quem quer que seja a beber veneno, nem que seja o meu pior inimigo.
Juro não dar nunca qualquer porção abortiva.
Juro não favorecer nunca o abortamento, por qualquer meio, salvo com ordem do médico.
Juro aviar escrupulosamente as receitas dos médicos, sem nada a acrescentar, nem tirar, nem modificar, nem colocar nenhum substitutivo ou sucedâneo sem conselhos de pessoas mais sábias do que eu.
Juro fugir, como da peste, dos charlatões e alquimistas que agem de maneira escandalosa e perniciosa, infelizmente tolerada pelos magistrais.
Juro atender e ajudar a todos os que me procurarem.
Juro não conservar nenhuma droga velha e estragada em minha farmácia.”